A energia elétrica é o futuro das balsas?

Os trocadores de calor marítimos Bowman foram especificados para resfriar baterias e motores em balsas elétricas de última geração operando na Tailândia.

As balsas são o ponto de partida perfeito para a eletrificação de barcos comerciais. Elas fazem viagens regulares e repetidas para destinos pré-determinados, permitindo que os tempos de operação e os requisitos de recarga sejam calculados com precisão e que a infraestrutura apropriada seja implementada.

São usadas em todo o mundo, então não faltam oportunidades para desenvolver soluções de design inovadoras, para criar embarcações adequadas aos requisitos locais específicos; por exemplo, em áreas onde a alta demanda e densidade populacional podem levar a hidrovias superlotadas e níveis inaceitavelmente altos de poluição do ar – como acontece no Sudeste Asiático.

Na Tailândia, essa situação é uma grande preocupação na capital do país, Bangkok. No rio Chao Phraya, balsas tradicionais de madeira, geralmente movidas por motores antigos e excessivamente grandes, emitem altos níveis de poluição que contribui para uma neblina e fumaça cinza que frequentemente preenchem o ar e sufocam os pulmões!

Com cerca de 320 quilômetros de vias navegáveis, Bangkok é frequentemente descrita como a ”Veneza do Oriente”, mas com 10 milhões de residentes, mais 23 milhões de visitantes anuais, a demanda por viagens aquáticas é alta, fazendo com que monumentos históricos, como o Grande Palácio e o Templo do Amanhecer estejam frequentemente envoltos nesta atmosfera cinzenta e poluída.

No entanto, isso está prestes a mudar, pois uma frota de balsas elétricas de liga de alumínio está em construção. Projetada por um dos líderes do Sudeste Asiático em energia renovável, a empresa desenvolveu uma balsa exclusiva, baseada no projeto de um catamarã e tem planos ambiciosos para construir 42 embarcações.

O resultado deverá revolucionar o transporte de passageiros por via aquática em Bangkok. Com capacidade para 200 passageiros, cada balsa de 24 metros será movida por dois motores elétricos e contará com 26 baterias de íon de lítio, com capacidade de 800 kW/h, além de autonomia de até 100 quilômetros entre recargas. Está prevista uma velocidade máxima de 13 nós (15 mph), que é mais rápida do que a maioria das balsas tradicionais atualmente em uso no rio Chao Phraya conseguem.

A tecnologia de carregamento rápido está sendo usada e a empresa pretende instalar uma rede de estações de carregamento rápido nas docas. São necessários cerca de 15 minutos para recarregar o navio, portanto, quando a transferência dos passageiros terminar, a balsa estará pronta para desembarcar.

A refrigeração foi uma consideração importante; as altas temperaturas do ar ambiente local ditando que uma solução de refrigeração confiável e comprovada seja adotada. Após uma pesquisa extensiva, a empresa selecionou os trocadores de calor da Bowman, devido à sua experiência em sistemas de carregamento e propulsão marítima elétricos e híbridos.

Quatro trocadores de calor de especificação marítima Bowman GL400 foram especificados para o programa de testes iniciais e após a conclusão bem-sucedida dos testes, a produção total do novo catamarã foi iniciada, com a introdução prevista de serviços comerciais a partir de 2020. As primeiras projeções sugerem que a nova balsa duplicará o uso de barcos para mais de 60 000 passageiros por dia, com cerca de 50% de todos os usuários optando por viajar nas novas embarcações elétricas.

E, tendo sido comprovado com sucesso durante os testes no mar da balsa, os trocadores de calor da Bowman estarão novamente no centro do sistema de propulsão elétrica, fornecendo uma solução de refrigeração eficiente para baterias e motores.

Bowman é agora reconhecida como líder mundial em sistemas de propulsão elétricos e híbridos de refrigeração, com muitas centenas de trocadores de calor operando de forma confiável e eficiente em todo o mundo. Muitos dos fabricantes líderes mundiais confiam nos trocadores de calor da Bowman para refrigerar seus sistemas de acionamento elétrico, além de baterias e carregadores.